6 de dezembro, 2022

No Roma houve império dos sentidos

20 de novembro, 2022

Aniversário da AJA com casa cheia e emoções à solta

No Roma, agora Fórum Lisboa, os trinta e cinco anos da Associação José Afonso foram comemorados com um concerto de elevada qualidade que a Brigada Victor Jara, Miguel Calhaz, as Moçoilas e Janita Salomé transformaram num autêntico percurso de celebração popular de José Afonso.

A música tradicional portuguesa na obra de Zeca Afonso foi o tema do encontro e a base da organização da produção de um espetáculo que Manuel Teixeira, o produtor, transformou num autêntico percurso ziguezagueante entre o convencional joséafonsino e a descoberta de novas sonoridades e de outras propostas para sentir o popular na sua relação com a esperança de um mundo transformado pela solidariedade e pela fraternidade.

A Brigada Victor Jara trouxe uma qualidade musical fora do comum e dela ouviu-se o relato de uma história sobre mulheres que cantavam interpretando uma canção do Zeca Afonso, autor que desconheciam. Afirmaram a pés juntos, quando lhes foi comunicado que era canção do Zeca, que a canção lhes pertencia. E como se concluiu, os processos de apropriação popular em bases informais constroem a eternidade de um cantautor de exceção, como foi José Afonso.

Todas as palmas lançadas para o palco do Fórum no final do concerto pecaram por escassez. Não era fácil fazer justiça face a desempenhos tão empolgantes. Mas haverá certamente nova oportunidade, daqui a um ano, para reparar de forma plena a situação. O aproximar dos 50 anos do 25 de Abril vão certamente transformar as propostas de espetáculos de 2023 e 2024 em algo de muito especial e particularmente desejado e esperado.

Vídeo amador – excerto da canção final com os vários artistas em palco

Editor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.